O Curso      Inscrições     
 
ESCOLHA A CIDADE:
Belo Horizonte

início: 25/03/2022
Vitória

início: 08/04/2022
Recife

início: 19/08/2022
São Paulo

início: 26/08/2022
Florianópolis

início: 16/09/2022
Jornada Clínica

São dois dias inteiros para sanar as dúvidas da prática clínica. Vagas limitadas!


Reciclagem?

Talvez este seja um bom momento para atualizar sua prática com o conhecimento constantemente renovado do Método Busquet.
Saiba mais     
 
Contato    Guia de Profissionais                Acesso de Alunos 
Novas turmas
no Brasil:


Belo Horizonte
início: 25/03/2022

INSCREVA-SE JÁ!
 

Vitória
início: 08/04/2022

INSCREVA-SE JÁ!
 

Recife
início: 19/08/2022

INSCREVA-SE JÁ!
 

São Paulo
início: 26/08/2022

INSCREVA-SE JÁ!
 

Florianópolis
início: 16/09/2022

INSCREVA-SE JÁ!
 

Textos

Artigos Método Busquet       Conteúdo       Clipping       Biblioteca Científica de Suporte


DOR MÚSCULOESQUELÉTICA X SISTEMA VISCERAL

POR Por Kamilla Gaudereto



DOWNLOAD: PDF

De acordo com o professor Busquet um fator a ser considerado no âmbito anatômico é que a inervação do peritônio parietal é feita por fibras nervosas somática dos nervos espinais (frênico, intercostais, subcostais e plexo lombar). As informações nociceptivas oriundas do peritônio desencadeiam a contratura reflexas dos músculos que possuem os mesmos retransmissores metaméricos. As tensões, as distensões (por exemplo, liga- das a uma ptose) e as inflamações desencadeiam contraturas musculares através de ramos comunicantes (assim como uma sensibilidade cutânea) no nível paravertebral e abdominal em função dos miótomos envolvidos.

Além disso, mudanças pressóricas no conteúdo visceral podem gerar mudanças posturais no sentido de favorecer um conforto para o corpo superprogramando assim, determinadas cadeias musculares para aux- iliar nesse processo. Levando em consideração a permanência dessa biomecânica devido a manutenção do fator influenciador visceral, os músculos que não estão programados para a função de manutenção de postura começam o processo de fadiga muscular e consequentemente a dor.

*texto completo e referencia bibliográfica no PDF